domingo, 14 de abril de 2013

Casa do Oleiro



Jeremias 18.1-10
1A palavra do SENHOR, que veio a Jeremias, dizendo:2Levanta-te e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.3E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas.4Como o vaso que ele fazia de barro se quebrou na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos seus olhos fazer.5Então, veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:6Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR; eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.

DESCE À CASA DO OLEIRO. DEUS ordenou que Jeremias fosse à casa do oleiro; aí observou que o oleiro fazia um vaso de barro. O vaso partiu-se nas mãos do oleiro, o qual o refez, porém, diferente do vaso anterior. Ter submisão a Deus é um fator primordial para a mudança de vida do cristão e ter a plena confiança que só o Senhor pode e vai fazer o melhor para você.
EU ME ARREPENDEREI. A palavra arrepender, aqui, significa compadecer-se, mudar de intenção e propósito, ou reconsiderar. DEUS é livre para mudar suas decisões e ajustar seus assuntos conosco, conforme o nosso modo de considerar o seu perdão ou suas advertências de castigo. As coisas da vida não são predeterminadas e inalteráveis, nem sequer na mente de DEUS; Ele considera as mudanças espirituais da pessoa. Embora DEUS, quanto à sua natureza, não mude em si mesmo (Nm 23.19; Tg 1.17), Ele muda, se quiser, de idéia e altera suas promessas e advertências já anunciadas. Nunca devemos aceitar uma teologia que negue a DEUS essa sua liberdade soberana (cf. Ez 18.21-28; 33.13-16).
Tantos querem imitar a Deus tantas pessoas ou instituições querem te apresentar os seus deuses, mais somente o Grande Jeová tem estas atribuições descritas abaixo, mais do que suficiente para você acreditar que Ele fará o melhor por você.
ATRIBUTOS EXCLUSIVOS DE DEUS. (1) DEUS é onipresente, Ele está presente em todos os lugares a um só tempo. O salmista afirma que, não importa para onde formos, DEUS está ali (Sl 139.7-12; cf. Jr 23.23,24; At 17.27,28); DEUS observa tudo quanto fazemos. (2) DEUS é onisciente, Ele sabe todas as coisas (Sl 139.1-6; 147.5). Ele conhece, não somente nosso procedimento, mas também nossos próprios pensamentos (1Sm 16.7; 1 Rs 8.39; Sl 44.21; Jr 17.9,10). Quando a Bíblia fala da presciência de DEUS (Is 42.9; At 2.23; 1Pe 1.2), significa que Ele conhece com precisão a condição de todas as coisas e de todos os acontecimentos exeqüíveis, reais, possíveis, futuros, passados ou predestinados (1Sm 23.10-13; Jr 38.17-20). A presciência de DEUS não subentende determinismo filosófico. DEUS é plenamente soberano para tomar decisões e alterar seus propósitos no tempo e na história, segundo sua própria vontade e sabedoria. Noutras palavras, DEUS não é limitado à sua própria presciência (ver Nm 14.11-20; 2Rs 20.1-7). (3) DEUS é onipotente, Ele é o Todo-poderoso e detém a autoridade total sobre todas as coisas e sobre todas as criaturas (Sl 147.13-18; Jr 32.17; Mt 19.26; Lc 1.37). Isso não quer dizer, jamais, que DEUS empregue todo o seu poder e autoridade em todos os momentos. Por exemplo, DEUS tem poder para exterminar totalmente o pecado, mas optou por não fazer assim até o final da história humana (ver 1Jo 5.19). Em muitos casos, DEUS limita o seu poder, quando o emprega através do seu povo (2Co 12.7-10); em casos assim, o seu poder depende do nosso grau de entrega e de submissão a Ele (ver Ef 3.20).
(4) DEUS é transcendente — Ele é diferente e independente da sua criação (ver Êx 24.9-18; Is 6.1-3; 40.12-26; 55.8,9). Seu ser e sua existência são infinitamente maiores e mais elevados do que a ordem por Ele criada (1Rs 8.27; Is 66.1,2; At 17.24,25). Ele subsiste de modo absolutamente perfeito e puro, muito além daquilo que Ele criou. Ele mesmo é incriado e existe à parte da criação (ver 1Tm 6.16). A transcendência de DEUS não significa, porém, que Ele não possa estar entre o seu povo como seu DEUS (Lv 26.11,12; Ez 37.27; 43.7; 2Co 6.16). (5) DEUS é eterno., Ele é de eternidade à eternidade (Sl 90.1,2; 102.12; Is 57.12). Nunca houve nem haverá um tempo, nem no passado nem no futuro, em que DEUS não existisse ou que não existirá; Ele não está limitado pelo tempo humano (cf. Sl 90.4; 2Pe 3.8), e é, portanto, melhor descrito como “EU SOU” (cf. Êx 3.14; Jo 8.58). (6) DEUS é imutável, Ele é inalterável nos seus atributos, nas suas perfeições e nos seus propósitos para a raça humana (Nm 23.19; Sl 102.26-28; Is 41.4; Ml 3.6; Hb 1.11,12; Tg 1.17). Isso não significa, porém, que DEUS nunca altere seus propósitos temporários ante o proceder humano. Ele pode, por exemplo, alterar suas decisões de castigo por causa do arrependimento sincero dos pecadores (cf. Jn 3.6-10). Além disso, Ele é livre para atender as necessidades do ser humano e às orações do seu povo. Em vários casos a Bíblia fala de DEUS mudando uma decisão como resultado das orações perseverantes dos justos (Nm 14.1-20; 2Rs 20.2-6; Is 38.2-6; Lc 18.1-8).
(7) DEUS é perfeito e santo. Ele é absolutamente isento de pecado e perfeitamente justo (Lv 11.44,45; Sl 85.13; 145.17; Mt 5.48). Adão e Eva foram criados sem pecado (cf. Gn 1.31), mas com a possibilidade de pecarem. DEUS, no entanto, não pode pecar (Nm 23.19; 2Tm 2.13; Tt 1.2; Hb 6.18). Sua santidade inclui, também, sua dedicação à realização dos seus propósitos e planos. (8) DEUS é trino e uno.  Ele é um só DEUS (Dt 6.4; Is 45.21; 1Co 8.5,6; Ef 4.6; 1Tm 2.5), manifesto em três pessoas: Pai, Filho e ESPÍRITO SANTO (Mt 28.19; 2Co 13.14; 1Pe 1.2).
Ele é o Oleiro; nós, apenas a argila.
 (1)Assim como o oleiro tem poder sobre a argila, de igual modo, DEUS tem poder sobre nossa vida.
 (2)DEUS é soberano, no entanto, suas criaturas são livres para render-se, ou não, a Ele.
 (3)O crente precisa submeter-se à vontade de DEUS, a fim de que Ele opere em sua vida segundo o seu querer.
 
Casa do Oleiro

Este é umas das mensagens mais lindas que Jeová traz a um de seus profetas para que fosse levada para todos os povos. E olhando para ela vejo a preocupação de Deus como a pessoa do homem que nada mais é do que o barro.

SEPARAÇÃO DO BARRO

Existem uma grande variedade de barro na natureza, alguns mais resistentes e outros menos, alguns com mais liga e outro com menos, e sendo assim o verdadeiro oleiro deve ir a te o local onde se encontra o barro, e barro não se compra no supermercado ou na farmácia, barro se encontra no lamaçal. Se você pensar um pouco verá que o barro tem um cheiro forte, e não é um cheiro perfumado, mas só o oleiro tem a capacidade para ver em um monte de barro, no meio do lodo. E lá vai o oleiro, seu nome JEOVÁ, saiu a procurar pelo barro para que se faça um bom vaso. Não importa de que lamaçal você veio o importante é que o Senhor Jeová te separou e olhando para você como os olhos de um oleiro, o qual te achou no meio do lamaçal e com as Suas próprias Mãos o tirou de lá para começar uma grande transformação.

O AMASSAMENTO DO BARRO

Bem, após separar o barro da lama e ter imaginado que lindo vaso ele daria, então o oleiro fará que o barro passe por alguns processos indispensáveis, ou se não for assim o barro nunca chegará a ser um bom vaso e a história de que vaso ruim não quebra é pura mentira do diabo, quem não quebra é vaso bom. Bom, agora que o oleiro tem o barro, ele começa o processo, e o primeiro processo é o amassamento do barro. Quando o barro sai do lodo ele ainda traz consigo algumas impurezas, sujeiras, que devem ser retiradas, e só assim o oleiro consegue retira-las, através do amassamento. Isso no ser humano pode ser traduzido como tirar de dentro dele(a) o ódio, rancores, vaidades, orgulhos, lascívias, vícios, pois estas coisas não podem ter em um vaso mesmo.

O MOLDE DO BARRO

Depois de separar o barro, o tirando do lodo sujo, e após o processo do amassamento limpando o barro das coisas ruins, o oleiro começa a moldar o barro. Então o oleiro o coloca na roda e começa a girar a roda, e com as suas mãos ele vai apertando e moldando e o barro vai começando a ganhar forma.
Este também é um processo dolorido, pois tudo parece girar em nossas vidas, no começo ficamos confusos, tudo gira, e algumas dúvidas começam a surgir, mas ninguém disse que ser crente era fácil!
Primeiro o oleiro começa de dentro para fora, e com as suas mãos vai nos dando forma por dentro, a bíblia diz que a boca fala do que o coração está cheio, é por isso que ele via de dentro para fora, apertando e apertando, assim o resto de deformidades vão indo embora, e no mesmo momento que molda por dentro ele molda por fora e depois desse também doloroso processo o vaso adquire sua forma e aos olhos do oleiro agora o vaso está quase pronto.
As vezes achamos que estamos pronto mas o oleiro nos lembra do último processo.

A FORNALHA DE FOGO

Chegamos ao último processo, esse processo literalmente é fogo. Depois de tudo que vimos acima, agora o oleiro com cuidado prepara a fornalha de fogo, então leva o vaso e o coloca dentro da fornalha que já estava acesa e fecha o forno deixando o vaso lá dentro por cerca de vinte e quatro horas.

Esse processo com o fogo gera inúmeros benefícios ele tira o mau cheiro e as impurezas mais profundas e realiza um processo chamado de solidificação.
Então depois de deixar o vaso pelo tempo certo dentro da fornalha, o oleiro volta e retira o vaso da fornalha, e agora ele vê que o vaso está resistente e já não tem mais aquele mau cheiro, e muito menos possui impurezas. Agora o oleiro olha para sua obra prima e fica contente, pois o vaso passou por todos os processos e venceu e verdadeiramente é um vaso novo.

CONCLUSÃO

Deixe o oleiro te achar, te tocar, te levar ao fogo e verás como é maravilhosa a vida de um vaso que servirá para honra. Talvez agora possamos entender por que muitos caem durante a vida.

Pastor Junior Pereira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário